Bullets On The Altar

Almah

exibições 17.192

Bullets On The Altar

Are we beloved indeed?
What is creed and what is crime?
Heavenly? Out of one's mind?

People love, esteem
And cherish who they crucified
As victims we pretend to cry

Tragedy, end of days?
Or it's just the blindness of a man
Loyalty or fanaticism?
Hopeless, it makes me feel so lonely

Homicide
Felony
A gunfire
Agony
You rest the bullets on the altar

And you die
And you kill
Dead inside
You reveal
Your aberration under your faith

Taken dreams, taken lives
Taken angels from the innocence's arms
Priory, house of pain!
It's drivin' nails in the cold rain

But i feel the end of the storm
And free the twelve caught souls
When we see the burnin' crosses for relief

We rely on the unknown to leave our guilt behind
Mercy won't erase your lies
Face the evidence that god is something to relieve
Heaven is freedom and hell is here

Taken dreams, taken lives
Taken angels from the innocence's arms
Priory, house of pain!
It's drivin' nails in the cold rain

But i feel the end of the storm
And free the twelve caught souls
When we see the burnin' crosses for relief

Now i see the end of the storm
And glance the twelve taught souls
They are free somewhere resting in the memories

Balas No Altar

Somos de fato amados?
O que é crença e o que é crime?
Celestial? Fora da mente de alguém?

Pessoas amam, estimam
E afagam quem crucificaram
Como vitimas fingimos chorar

Tragédia, fim dos dias?
Ou é só a cegueira de um homem
Lealdade ou fanatismo?
Sem esperança, isso me faz sentir tão solitario

Homicídio
Crime
Um tiro
Agonia
Você repousa as balas no altar

E você morre
E você mata
Morto por dentro
Você revela
Sua aberração sob sua fé

Tomando sonhos, tomando vidas
Tomando anjos dos braços da inocência
Priorado, casa da dor!
Fincando pregos na chuva fria

Mas eu sinto o fim da tempestade
E o libertar das doze almas presas
Quando vermos as cruzes queimando para aliviar

Recorremos ao desconhecido
Para deixar nossa culpa pra trás
Piedade não irá apagar suas mentiras
Encare a evidência de que Deus é algo para aliviar
O céu é a liberdade e o inferno é aqui

Tomando sonhos, tomando vidas
Tomando anjos dos braços da inocência
Priorado, casa da dor!
Fincando pregos na chuva fria

Mas eu sinto o fim da tempestade
E o libertar das doze almas presas
Quando vermos as cruzes queimando para aliviar

Agora eu vejo o fim da tempestade
E vislumbro as doze almas ensinadas
Elas estão livres em algum lugar descansando nas memórias

Composição: Edu Falaschi / Felipe Andreoli / Marcelo Barbosa / Marcelo Moreira / Paulo Schroeber · Esse não é o compositor? Nos avise.
Enviada por sorazem, Traduzida por sorazem, Legendado por vandemilson2006, Mathews e mais 2
Viu algum erro na tradução? Envie sua correção.
0 comentários
Terra Música feedback