Letras de músicas - Letras.mus.br

Mente do Vilão (part. Mano Brown)

Banda Black Rio

A mente do vilão - Banda Black Rio, Mano Brown, Pixote e Du Bronk's.

[Mano Brown]
Fértil como a terra preta é a mente do vilão
Quem vem lá, seis função vindo de galachão
(peraê)

[black rio]
Você não sabe de onde eu vim
Você não sabe o que é sofrer
Cosa Nostra tá chegando aí
E todo mundo vai saber

[Du Bronks]
Pode ir par que não dá ímpar, sou Du Bronk's
Entre lobos e hienas passo á vonts
No volante do fusquinha essa é a visão
Coléta das verdinhas dividindo o pão
Febre da ZS, vida gangstar
Rimas e brilhantes, Cosa Nostra
Perigo do caraio, a vida é passageira
Chega de ensaio, a cena é verdadeira
A banda é a Black Rio, a musica traz sorte
Representa Brown, chega Don Pixote
Do lado dos monstrões, Willian Magalhães
Nessa qualidade vem alguns milhões
Não sabe de onde eu vim , talvez não vai saber
O Rosana tá aí, agora é pra valer..

[Pixote]
Tamo caminhando observando, tenho uns planos, executando
Na terra da garoa tá lucrando
Andando contra o vento, vou vivendo um clima tenso
Revolver na cintura de All Star e lenço
A Cosa Nostra vem, só pra contar as de cem
O bang loko tá aqui, com a Black Rio zen
Alguns pipocas vem, a arma tá sem trava
Sem silenciador pra oureiada, vai pras nuvem
Em campo de novo, pode vir, tem vitória
A maioria é o povo, só quer fazer o bem
Nego faz refém, os branco que aqui tem
Só pega o que tá dentro da mala sem ferir ninguém
Salve FEBEM, me inspiro com o Wu Tang
Canta a realidade das ruas que te leva além
É o fim que vem, tipo o Ryu e o Ken
Quem representou bem demonstrou ter coragem

[black rio]
'Você não sabe de onde eu vim'

[Mano Brown]
E no principio era trevas, no inicio do inicio
Um cego leva uma leva. a um passo do precipício
Não de som nem de erva, louco de solidão
No principio era trevas, Malcon foi Lampião
Lâmpadas para os pés, negros do dois mil e dez
Fã de Mumia Abu-Jamal, Hosama, Sadã, Al-Kaeda, Talibã, Iraque, Vietnã
Contra os boys, contra o GOE, contra a Ku-Klux-Klan
E eu já pã, de manhã, dando um pelé nos Rocam
Pé-de-porco é pé frio, dos seis é meia de lã
(hã,hãhahã,hã,hã)
E o plant é de maçã, tá firmão, tá suave,sem flagrante na nave
Sou crioulo, sou chave, e elas gostam assim
Não ando sozinho, sabe, tenho vários por mim
Olha! enquadraram os patrícios, vixe, o molho azedou
Abandonaram o Peugeot, pularam o muro a milhão
Só se for, vai que vai, os moleque é zica carai, da trabalho
Né? na selva a gente é o que é, porque não tem alarme bom quando o bom ladrão quer
Vocês dão taça de veneno e quer suflair?
Fértil como terra preta é a mente do vilão,
Quem vem lá, seis função vindo de galachão
No coração da quebrada percorrendo as artérias
Vão , vão, nunca em vão, espalhando os sonhos em grãos
Na contenção sem férias, em cor e em close, um alvo sem pose
Magrelo chavão desde os doze
Meu País demonstrou vergonha de ter minha cor
(hã,hã)
Seus cuzão, né pra qualquer um memo não
Enquanto a vanguarda negra e a vã, filosofia sã, Fundão meu divã
Inédito em a vã, premeire, não durma no barulho
É a Banda Black Rio na porra do bagulho

[black rio](3x)
Você não sabe de onde eu vim
Você não sabe o que é sofrer
Cosa Nostra tá chegando aí
E todo mundo vai saber

Composição: Banda Black Rio / Mano Brown / Rosana Bronks / U-Time · Esse não é o compositor? Nos avise.
Enviada por Jonathan
55.804 exibições
Ver mais fotos
Músicas
Ouvindo agora ouvintes online
    Artistas
    Estilos Musicais
    Playlists
    Recentes
      Destaques
      Últimos destaques
      Mais