Silver Palomino

Bruce Springsteen

exibições 775

Silver Palomino

(A mother dies leaving her young son
To come to terms with the loss.
In remembrance of Fiona Chappel,
For her sons Tyler and Oliver.)

I was barely 13 years old
She came out of the Guadalupe's on a night so cold
Her coat was frosted diamonds in the sallow moon's glow
My silver palomino
Sixteen hands from her withers to the ground
I lie in bed and listen to the sound
Of the west Texas thunder roll
My silver palomino
I track her into the mountains she loved
Watch her from the rocks above
She'd dip her neck and drink from the winter flows
My silver palomino
Our mustaneros were the very best, sir
But they could never lay a rope on her
No corral will ever hold
The silver palomino

In my dreams bareback I ride
Over the pradera low and wide
As the wind sweeps out the draw
'Cross the scrub desert floor

I'd give my riata and spurs
If I could be forever yours
I'd ride into the serrania where no one goes
For my silver palomino
Summer drought come hard that year
Our herd grazed the land so bare
Me and my dad had to blowtorch the thorns off the prickly pear
And mother, your hand slipped from my hair

Tonight I wake early the sky is pearl, the stars aglow
I saddle up my red roan
I ride deep into the mountains along a ridge of pale stone
Where the air is still with the coming snow
As I rise higher I can smell your hair
The scent of your skin, mother, fills the air
'Midst the harsh scrub pine that grows
I watch the silver palomino

Silver Palomino (Tradução)

Eu apenas tinha 13 anos
Quando ela veio de Guadalupe numa noite tão fria
Seu cabelo parecia diamante que brilhava com a geada da lua pálida
Meu palomino prateado

Dezesseis polegadas do chão à cruz
Deitado da cama eu escuto o som
Dos trovões no oeste do Texas
Meu palomino prateado

Sigo seu rasto até as montanhas que amava
Vejo por cima das pedras
Ela baixava o pescoço e bebia dos fluxos do inverno
Meu palomino prateado

Nosso mustaneros era o melhor, senhor.
Mas eles nunca jogaram uma corda em seu pescoço
Nenhum curral o segurará
Meu palomino prateado

Em meus sonhos eu monto nela pelo cabelo
Nas largas pradarias
O vento arrasta a poeira
Cruzando o chão do deserto de arbusto

Eu daria minha corda e minhas esporas
Se eu pudesse ser sempre seu
Montaria até a Serra aonde ninguém vai
Por meu palomino prateado

A seca de verão foi muito dura aquele ano
Nosso rebanho ao pastar deixa a terra tão nua
Meu pai e eu tivemos que queimar com soplete as espinhas das chumberas
E minha mãe, alisando minha cabeça.

Esta noite acordo cedo, o céu é perola, as estrelas incandescentes.
Eu ponho a sela no meu cavalo vermelho
Eu monto pelas montanhas ao longo de um cume de pedra pálida
Onde o ar esta calmo pela neve que cai
Eu subo mais alto onde eu posso cheirar seu cabelo
O cheiro de sua pele, mãe, enche o ar.
Entre o arbusto severo cresce a ansiedade
Eu vejo o palomino prateado

0 comentários
Terra Música feedback