Chegas e Pronto

Dillaz

Tu achas que é chegar e aparecer, então chegas e pronto
Acabas, recomeças, mas tu não chegas ao ponto
Tens um limite, o mesmo que te torna limitado
Nunca magoaste os outros, mas por eles és magoado
Abre essa porta, lava a cara, tira esse roupão
Tu já tens os mil motivos falta-te a motivação
Tu não soluces, perante a solução
Que essa coisa que te suga e que inspira só tira a inspiração
Não vais prai, eu passo a vida a arrumar-te as ideias
Ainda gozas com sorrisos de quem nunca se chateia
Eu compreendo, nessa idade a cabeça flutua
Não sou mais velho, talvez tenha a mesma idade que a tua
Mas há que pôr uma regra, entre o bem e o mal
Guarda o teu lado machista, usa o lado racional
Ser mais um pombo, no marquês de pombal
Nã, sobe ao cume da montanha para obter um plano geral
E se ninguém bater à porta e só baterem as saudades
Afasta aquilo que não é preciso das tuas preciosidades
Porque ela só tem que gostar daquilo que és
E não se aproveitar se tens um mike na mão ou uma bola nos pés
E o que dizias, que à pala dos outros não conseguias
Não me venhas com a conversa que a culpa é das companhias
Tas enganado, se achas que eu não sei
Também já fui um puto sem falar com o pai durante um ano e meio
O que eu ganhei? Nada
Andar de cara trancada, ser uma pessoa fria numa via acelerada
Não critiques, observa, recolhe e antes de falares de mim vê o teu reflexo nos meus olhos
Que há que ter um significado, não dizer só por dizer
Não ser um boca p'ra fora, tens de ver para crer
Talvez percebes e recebas o dever
Que em vez de pisar o pequeno, devias tentar crescer

Então se tu escreves o que eu digo, se segues o meu passo,
Então não me espezinhes, dá-me antes um abraço
Não encurtes a folha, tenta alargar o traço
Se eu tou lá na vitória, eu tou lá no fracasso

Então sorri, não há coisa mais gira do que sorrir
E se tu próprio consegues ajuda o outro a conseguir
Não sejas parvo, não queiras acabar um rejeitado
Acredita, lutar sozinho é muito mais complicado
Mas que mania, porque é que virou moda a rebeldia
Se eu falo tu rejeitas, se falasses eu ouvia
Mas porque é que eu ainda falo para a maioria?
Se aquilo que eu te digo neste som, a minha mãe diz todo o dia
P'ra eu pensar melhor na vida, começar a pensar,
Que fazer som eu não devia, devia era estudar
Por isso acorda e faz-te à pista, c'a pista tá a aumentar
Ou te aguentas, ou te despistas, não custa nada tentar
Então tu sobe e não olhes p'ra baixo, pois não cais
Se sentires que tens a força e que os teus tu nunca trais
Tu junta a tinta, faz com que a tua caneta ganhe glória
Então tu escreve e observa a trajectória

Então se tu escreves o que eu digo, se segues o meu passo,
Então não me espezinhes, dá-me antes um abraço
Não encurtes a folha, tenta alargar o traço
Se eu tou lá na vitória, eu tou lá no fracasso

9.429 exibições
Ver mais fotos

Comentários


Quem curte?

Músicas
Ouvindo agora ouvintes online
    Artistas
    Estilos Musicais
    Playlists
    Recentes
      Destaques
      Últimos destaques
      Mais