When A Dead Man Walks

Paranoia...
In which I think that I'm not confident.
Blood into my hand, blood into my hand,
Blood into my hands, I can't deny.
A buzz into my ear that makes me mad.

But I don't look back, while I'm waiting to die.
I don't look back, in a weird lullaby,
I carry on, and the hope in my heart is dried.
But I don't look back and I cannot reply.
I don't look back while I'm waiting to lie.
I carry on, while they want to decide for me.

Once again, once again...
Living in their cage;
Living in their cage;
They're killing me.
Once again...
Living in their cage;
Living in their cage;
They're killing me.

Paranoia...
in which I think that I'm not confident.
Tiny hope that burns into my breath.
A bitter smile delights me in the end.

But I don't look back, while I'm waiting to die.
I don't look back, in a weird lullaby,
I carry on, and the hope in my heart is dried.
But I don't look back and I cannot reply.
I don't look back, while I'm waiting to lie.
I carry on, while they want to decide for me.

Once again, once again...
Living in their cage;
Living in their cage;
They're killing me.
Once again...
Living in their cage;
Living in their cage;
They're killing me,
killing me!

But I don't look back, while I'm waiting to die.
I don't look back, in a weird lullaby,
I carry on, and the hope in my heart is dried.
But I don't look back and I cannot reply.
I don't look back, while I'm waiting to lie.
I carry on, while they want to decide for me.

Once again, once again...
Living in their cage;
Living in their cage;
They're killing me.
Once again...
Living in their cage;
Living in their cage;
They're killing me, killing me...

Quando Um Homem Morto Anda

Paranóia...
Que me faz pensar que eu não sou confiante.
Sangue em minhas mãos, sangue em minhas mãos,
Sangue em minhas mãos, e eu não posso negar.
Um barulho em meus ouvidos que me faz enlouquecer.

Mas eu não olho para trás enquanto espero a minha morte.
Não olho para trás, uma canção misteriosa,
Eu seguirei em frente, até a esperança em meu coração acabar.
Mas eu não olho para trás e eu não posso responder.
Não olho para trás enquanto eu estou esperando para mentir.
Eu seguirei em frente enquanto eles querem decidir por mim.

Mais uma vez...
Vivendo na gaiola deles;
Vivendo na gaiola deles;
Eles estão me matando.
Mais uma vez...
Vivendo na gaiola deles;
Vivendo na gaiola deles;
Eles estão me matando.

Paranóia...
Que me faz pensar que eu não sou confiante.
Um fio de esperança que queima em meu coração.
Um sorriso amargo me regozija até o fim.

Mas eu não olho para trás enquanto espero a minha morte.
Não olho para trás, uma canção misteriosa,
Eu seguirei em frente, até a esperança em meu coração acabar.
Mas eu não olho para trás e eu não posso responder.
Não olho para trás enquanto eu estou esperando para mentir.
Eu seguirei em frente enquanto eles querem decidir por mim.

Mais uma vez...
Vivendo na gaiola deles;
Vivendo na gaiola deles;
Eles estão me matando.
Mais uma vez...
Vivendo na gaiola deles;
Vivendo na gaiola deles;
Eles estão me matando,
Me matando!

Mas eu não olho para trás enquanto espero a minha morte.
Não olho para trás, uma canção misteriosa,
Eu seguirei em frente, até a esperança em meu coração acabar.
Mas eu não olho para trás e eu não posso responder.
Não olho para trás enquanto eu estou esperando para mentir.
Eu seguirei em frente enquanto eles querem decidir por mim.

Mais uma vez...
Vivendo na gaiola deles;
Vivendo na gaiola deles;
Eles estão me matando.
Mais uma vez...
Vivendo na gaiola deles;
Vivendo na gaiola deles;
Eles estão me matando, me matando...

Composição: Cristina Scabbia · Esse não é o compositor? Nos avise.
Traduzida por Elaine
6.280 exibições
Ver mais fotos
Músicas
Ouvindo agora ouvintes online
    Artistas
    Estilos Musicais
    Playlists
    Recentes
      Destaques
      Últimos destaques
      Mais