Canção Retorno Para Um Amigo À Morte

Legião Urbana

exibições 88.589

Alisa a testa suada do rapaz
Toca o talo nu ali escondido
Protegido nesse ninho farpado sombrio da semente
Então seus olhos castanhos ficam vivos
Antes afago pensava ele era domínio
Essas aí não são suas mãos são as minhas
E seguras, minhas mãos buscam se impor
Todo conhecimento do jorro viril do meu senhor
O gosto perfumado que retém minha língua
É engano instalado e não desfeito
Seus olhos chispantes podem retalhar minha pele bárbara
Forçar toda gravidade a ir embora.
Ele vadeia em águas fechadas
Sono profundo altera seus sentidos.
A meu único rival eu devo obedecer
Vai comandar nosso duplo renascer.
O mesmo
Insano
Sustenta
Outra vez.
(Os dois juntos junto de nossos próprios corações.)
Calei e escrevi
Isto em reverência
Pela coincidência.

Terra Música
feedback