Sor María

Maná

exibições 4.119

Sor María

Detrás del muro en un convento
Hay un sueño en la piel
Sor maría se disfraza como el viento
Sueña y vuela va con él

Sor maría encerrada
Le prohibieron libertad
Las hermanas le advirtieron con espanto
Es pecado enamorarse
Es virtud la castidad

Se lo dijo el padre aurelio
Sor maría pliega el vuelo
Hija mía ponte en paz
Ella dijo ya no puedo padre aurelio
Si la luz entra en el agua
Se le olvida el cielo

Una mujer enamorada decidida
Pasma el aire el universo y la razón
Si la luz entra en el agua
Olvida el cielo
Va con un sueño en la piel

Hablando sola con su sombra
Inventando estar con él
Suelta un beso en el aire y lo nombra
Labios llenos de su miel

Sor maría enamorada sin remedio
Trae ardiendo el corazón
Está inundada de sus sueños
De sus ganas
Ignorarlo es contra natura
Por piedad no me juzguen reventó

Una mujer enamorada decidida
Pasma el aire el universo y la razón
Si la luz entra en el agua
Olvida el cielo
Va con un sueño en la piel

En huída el padre aurelio
Y sor maría fatal
Los sorprendieron en pecado capital
Los fusilaron a los dos
Mano con mano hasta el final
Como los árboles que mueren de pie

Y se soñaba
Con la luz de la mañana en la bañera
Que le besa el vientre
Y los labios y los pies
Se sonroja y se le encienden
Las mejillas
Se murió con un sueño en la piel
Con un sueño en la piel (x3)

Irmã Maria

Por detras de um muro em um convento
Há um sonho na pele
Irmã Maria está disfarçada como o vento
Sonha e voa e vai com ele

Irmã Maria bloqueada
Proibiram a liberdade
As irmãs observaram com desânimo
É um pecado se apaixonar
A castidade é uma virtude

Então disse o Padre Aurelio
Irmã Maria dobras de vôo
Minha filha fica em paz
Ela disse: eu não posso padre aurelio
Se a luz entra na água
Se esquece o ceu

Uma mulher decidia e apaixonada
Pasma o ar, o universo e a razão
Si a luz entra na agua
Esquece o céu
E vai com o sonho na pele

Falando sozinha com sua sombra
Inventando estar com ele
Solta um beijo no ar e da nome
Labios cheios de mel

Irma Maria apaixonada sem remedio
Trás o coração queimando
Está inundada de seus sonhos
De seus desejos
Ignorá-los é contra sua natureza
Por piedade não me julguem gritou

Uma mulher decidia e apaixonada
Pasma o ar, o universo e a razão
Si a luz entra na agua
Esquece o ceu
E vai com o sonho na pele

Na sua fuga padre aurelio
E Irmã Maria Fatal
Foram sorprendidos em pecado capital
Fusilaram aos dois
De mãos dadas até o fim
Como as árvores que morrem de pé

E sonhou
Com a luz da manhã na banheira
Ele beija seu ventre
E os lábios e os pés
Fica vermelho e se acende
As Bochechas
Ele morreu com um sonho na pele
Com um sonho na pele (x3)

Composição: Fher Olvera / Sergio Vallín · Esse não é o compositor? Nos avise.
Enviada por luna, Traduzida por luna
Viu algum erro na tradução? Envie sua correção.
0 comentários
Terra Música feedback