Lar Doce Lar (part. Império de Casa Verde)

MC Guimê

exibições 49.189

Vem meu amor, olha pra mim, sou casa verde na avenida

Fruto do morro, faço parte desse povo
Bato o pé, pois sou teimoso e não vou me ludibriar
Não me intimida, o bandido ou a polícia
Tenho o meu ponto de vista e Deus na frente a me guiar

A vida não é uma novela de casas tão belas, carrão, caviar
Quem nasce, cresce na favela não vive sem ela
É seu lar doce lar

Favela querida e tão discriminada
Refúgio de um povo sem direito a nada
É lá que eu vivo, lá é minha quebrada
Eta lugar bom que não troco por nada

Favela querida e tão discriminada
Refúgio de um povo sem direito a nada
Se for papo reto, entra na jogada
Se não é cerol, vira carta marcada

Onde nasci, onde cresci
Da onde eu tenho orgulho
As rimas com a bateria
Nóis forma o barulho

Então bota fogo no bagulho e pede uma gelada
No camarote da Império ao som da batucada

Nóis tá curtindo, nóis tá sorrindo
Chama meus mano da quebrada e também os granfino
Chama as loiras, as morenas, aquelas que roubam a cena
Se a mulher estiver solteira eu passo o pente fino

Me diz por que o preconceito com a comunidade?
Se é na favela que encontramos a felicidade

De pé descalço, o primeiro passo à bonança
E minha mãe sempre dizia "tenha esperança"
Hoje para o Brasil inteiro, direto de sampa
É carnaval, então já é, vamos cair pro samba

Vamos sim

Fruto do morro, faço parte desse povo
Bato o pé, pois sou teimoso e não vou me ludibriar
Não me intimida, o bandido ou a polícia
Tenho o meu ponto de vista e Deus na frente a me guiar

A vida não é uma novela de casas tão belas, carrão, caviar
Quem nasce, cresce na favela não vive sem ela
É seu lar doce lar

Favela querida e tão discriminada
Refúgio de um povo sem direito a nada
É lá que eu vivo, lá é minha quebrada
Eta lugar bom que não troco por nada

Favela querida e tão discriminada
Refúgio de um povo sem direito a nada
Se for papo reto, entra na jogada
Se não é cerol, vira carta marcada

Terra Música
feedback