Poema 15

Mercedes Sosa

exibições 23.993

Poema 15

Me gusta cuando callas porque estás como ausente
y me oyes desde lejos y mi voz no te toca,
parece que los ojos se te hubieran volado
y parece que un beso te cerrara la bo - oca.

Me gustas cuando callas y estás como distante
y estás como quejándote mariposa en arrullo,
y me oyes desde lejos y mi voz no te alcanza
déjame que me calle con el silencio tu - uyo.

Déjame que te hable también con tu silencio
claro como una lámpara simple como un anillo,
te pareces a la noche callada y constelada
tu silencio es la estrella tan lejano y senci - illo.

Me gustas cuando callas porque estás como ausente
distante y dolorosa como si hubieras muerto,
una palabra entonces, una sonrisa bastan
y estoy alegre, alegre de que no sea cierto,
una palabra entonces, una sonrisa bastan
y estoy alegre, alegre de que no sea cierto.

Poema 15

Gosto quando te calas porque estás como ausente
E me ouve de longe e minha voz não te toca
Parece que os olhos tinham voado
E parece que um beijo fechara sua boca

Gosto quando te calas e estás como distante
E estás como queixando-se mariposa em arrulho
E me ouve de longe e minha voz não te alcança
Deixa-me que me cale com o silêncio teu

Deixa-me que lhe fale também com teu silêncio
Claro como uma lâmpada, simples como um anel
Tu pareces a noite calada e estrelada
Teu silêncio é a estrela tão distante e singela

Gosto quando te calas porque estás como ausente
Distante e dolorosa como se tivesse morrido
Uma palavra então, um sorriso bastam
E estou alegre, alegre de que não seja certo
Uma palavra então, um sorriso bastam
E estou alegre, alegre de que não seja certo

Terra Música
feedback