Há Sempre Uma Esperança

Ozéias de Paula

exibições 8.908

há sempre uma esperança.

Nas desilusões da vida
No desvanecer dos sonhos
Há sempre uma despedida
Em meio a um cantar tristonho

Há sempre um lenço branco
E um pranto no olhar surgindo
De alguém que ficou no banco
Olhando outro alguém partindo

Mas, há sempre uma esperança
Na vida de quem insiste
Em não caminhar tão triste
Na estrada por onde for

Mas, há sempre uma esperança
Batendo em nossa porta
Salvando a fé quase morta
Na ressurreição do amor

Na rosa, por sobre a terra,
Mas, que não murchou ainda
A mesma tristeza encerra
Na rima que um verso finda

Porque quando a rosa murcha
O aroma se desvanece
Dissolve-se qual a rima
De um verso que alguém esquece

0 comentários
Terra Música feedback