La Vita È Adesso

Renato Russo

exibições 87.832

La Vita È Adesso

La vita è adesso
Nel vecchio albergo
Della terra e ognuno in una
Stanza e in una storia di mattini più leggeri e cieli
Smarginati di speranza e di silenzi da ascoltare
E ti sorprenderai a cantare ma
Non sai perchè

La vita è adesso
Nei pomeriggi appena freschi
Che ti viene sonno e le campane
Girano le nuvole e piove
Sui capelli e sopra i tavolini
Dei caffè all'aperto
E ti domandi certo chi sei tu

Sei tu, sei tu, sei tu

Sei tu che spingi avanti il cuore, ed il lavoro duro
Si essere uomo e non sapere, cosa sarà il futuro
Sei tu, nel tempo che ci fa più grandi e soli in mezzo al mondo
Con l'ansia di cercare insieme, un bene più profondo

E un altro che ti dia respiro e che si curvi verso te
Con un'attesa di volersi di più senza capire cos'è
E tu che mi ricambi gli occhi in questo instante immenso
Sopra il rumore della gente, dimmi se questo ha un senso

La vita è adesso
Nell'aria tenera
Di un dopocena e musi
Di bambini contro i vetri e i prati che si lisciano
Come gattini e stelle che si appicciano ai lampioni millioni
Mentre ti chiederai dove sei tu

Sei tu, sei tu, sei tu

Sei tu che porterai il tuo amore per cento e mille strade
Perchè non c'è mai fine al viaggio anche se un sogno cade
Sei tu che hai un vento nuovo tra le braccia
Mentre mi vieni incontro
E imparerai che per morire ti basterà un tramonto

In una gioia che fa male di più della malinconia
Ed in qualunque sera ti troverai non ti buttare via
E non lasciare andare un giorno per ritrovar te stesso
Figlio di un cielo così bello perchè la vita è adesso

A Vida É Agora

A vida é agora,
no velho albergue
da Terra e cada um num
quarto e numa história de manhãs mais leves e céus
de esperança imaginada E de silêncios de escutar
E te surpreenderás a cantar mas,
não sabe por quê

A vida é agora,
Nas tardes apenas frescas
Que te vem o sono e os sinos
girando as nuvens e chove
sobre os cabelos e nas mesinhas
dos cafés ao ar livre,
E te perguntas incerto: quem você é?

É você, é você, é você

É você que empurra para frente o coração, e o trabalho duro
De ser gente e não saber o que será o futuro;
É você no tempo que nos faz maiores e sozinhos no meio do mundo,
Com a ânsia de procurar juntos um bem mais profundo

E um outro que te dê descanso e que se curve até você
Esperando que você peça mais Sem entender o que é,
E tu, que me flerta nesse instante imenso,
Acima do barulho das pessoas, me diga se isto tem um sentido

A vida é agora,
No ar suave
de uma sesta e rostos
de crianças contra as vidraças e os prados que se esfregam
como gatinhos e estrelas que se juntam nas luminárias, milhões,
Enquanto você se pergunta onde está você?

É você, é você, é você

É você que levará seu amor por cem mil caminhos,
Porque nunca tem fim a viagem mesmo se acaba um sonho;
É você que traz um vento novo nos braços,
Enquanto vem me encontrar
E aprenderá que para morrer bastará um por-do-sol.

Numa alegria que faz mais mal que a tristeza,
E qualquer tarde dessas encontrará você não se desperdice
E não deixe passar um dia para descobrir a si próprio
Filho de um céu tão belo porque a vida é agora.

Terra Música feedback