Sonho de Caboclo

Tião do Carro e Santarém

Fiz um poema
Com palavras tão bonitas
Caprichei bem na escrita
E também fiz um canção

Fui no jardim
Colhi as flores mais belas
Margaridas amarelas
E a rosa branca em botão

Com muito gosto
Arrumei nossa casinha
Da sala até a cozinha
E carpi todo o quintal

Rocei o pasto
E consertei a porteira
Enfeitei a casa inteira
Como se fosse natal

Lá na varanda
Amarrei de novo a rede
Ajeitei bem na parede
O quadro da Santa Ceia

No chão da sala
Todo de terra batida
Dei uma boa varrida
Não ficou um grão de areia

Na nossa cama
Pus a colcha de piquê
Com as beiradas de crochê
Que você fez tudo a mão

Troquei as folhas
Com capricho e muito esmero
As penas do travesseiro
E palhas novas no colchão

Chegou o dia
Que você ia voltar
Eu cheguei até chorar
De tanta felicidade

Levantei cedo
E me arrumei com muito zelo
Reparti bem o cabelo
Igual gente da cidade

Botina nova
Que me apertava um pouco
Calça de Brim arranca-toco
E bigode bem aparado

De lenço branco
Camisa preta de lista
Eu parecia um artista
Daqueles bem afamado

E bem na hora
Que passava a jardineira
Me deu uma tremedeira
Quando a porteira bateu

Sai correndo
Lá pras bandas da estrada
Pra ver a sua chegada
Você não apareceu

A jardineira
Foi sumindo no estradão
Levando a minha ilusão
E a tristeza que ficou

Foi só um sonho
Sentei na cama chorando
Hoje está fazendo um ano
Que você me abandonou

Composição: Ademar Braga / Tião do Carro · Esse não é o compositor? Nos avise.
Enviada por João
40.620 exibições
Ver mais fotos

Comentários


Quem curte?

Músicas
Ouvindo agora ouvintes online
    Artistas
    Estilos Musicais
    Playlists
    Recentes
      Destaques
      Últimos destaques
      Mais