Fado

Toquinho

exibições 1.752

Peito de tábua de canoa,
Olho de leme, braço de vela.
Lá vai meu coração na proa,
O capitão da caravela.

Qual navegante de Lisboa
Quero aportar em terra bela.
Não Moçambique, Angola ou Goa,
Mas na amplidão verde-amarela.

No mar, guiado pelos astros,
Um barco amante nunca erra.
Paixão e amor pendendo os mastros
Que eu fincarei no alto da serra.

Trovas e versos são meus lastros,
Jamais fuzis e armas de guerra.
Assim, de mim ficaram rastros
Nos corações da nova terra.

Terra Música feedback