Canções de Guerra

14 Bis

exibições 9.723

A linha do horizonte se avermelha, agora o sol se vai.
A sombra pouco a pouco escala o arco, a tarde cai.
Os homens calam-se diante do crepúsculo,
Solene sombra sobre estrada.

Sou eu quem devia
Voltar, mas é cedo.

Ali na direção da serra as luzes de uma aldeia vão,
Trazer um pouco de conforto a toda solidão.
Pessoas passam calejadas em alma e músculo,
Perguntas muitas sobre nada.

Sou eu (não posso voltar agora)
Quem devia (a guerra não terminou)
Voltar (mil léguas estrada afora)
Mas é cedo (sem tréguas ainda eu vou)

Escute as canções de guerra,
Os sinais, as razões da terra.

Alimentando a alma eu bebo vinho, eu trago música.
Sei que uma vida é uma vida sempre única.
Diante do amor o mundo é minúsculo,
Eu não profano a jornada.

Composição: Sérgio Vasconcellos - Cláudio Venturini - Chico Amaral · Esse não é o compositor? Nos avise.
Enviada por Lia
Viu algum erro na letra? Envie sua correção.
Terra Música feedback