Em Cima Daquele Morro

Arnaud Rodrigues

Em cima daquele morro
Passa boi, passa boiada,
Passa boiada.
Tem movimento paca!
Tem movimento paca!

Em cima daquele morro
Passa boi, passa boiada,
Passa boiada.
Tem movimento paca!
Tem movimento paca!

Paca, tatu, cotia, não,
Paca, tatu, cotia, não,
Não tem na serra não.
Ah, porque nêgo mata!
Ah, porque nêgo mata!

Paca, tatu, cotia, não,
Paca, tatu, cotia, não
Não tem na serra não.
Ah, porque nêgo mata!
Ah, porque nêgo mata!

Joguei uma pedra nágua,
De pesada, foi ao fundo
E foi ao fundo
E ninguém disse nada!
E ninguém disse nada!

Joguei uma pedra nágua,
De pesada, foi ao fundo
E foi ao fundo,
E ninguém disse nada!
E ninguém disse nada!

Tubarão, peixe, piaba,
Tubarão, peixe, piaba,
Não respondem não.
Ah, se não, nêgo mata!
Ah, se não, nego mata!

Tubarão, peixe, piaba,
Tubarão, peixe, piaba,
Não respondem não.
Ah, se não, nêgo mata!
Ah, se não, nêgo mata!

Batatinha, quando nasce,
Esparrama pelo chão,
Esparrama não!
Ah, porque nêgo cata!
Ah, porque nêgo cata!

Batatinha, quando nasce,
Se esparrama pelo chão,
Esparrama não,
Ah, porque nêgo cata!
Ah, porque nêgo cata!

E passarada passa o arado,
E passarada passa o arado,
E nada vem do chão,
Ah, porque nêgo rapa!
Ah, porque nêgo rapa!

E passarada passa o arado,
E passarada passa o arado,
E nada vem do chão,
Ah, porque nêgo rapa!
Ah, porque nêgo rapa!

E nêgo mata caititu,
Mata jacu, jaó,
Paca, tatu, maracajá,
No jacá de cipó.
E taca o tiro, e taca a faca,
A faca fere a fera!
Onde a inteligência impera
É que se dá coisa pior:

E morre a fauna e não se ouve
O sabiá cantando!
E morre a flora e não se vê
A flor desabrochando!
E não se escuta mais o ronco
Daquela cascata!
É o fim da vida, é o fim da água,
Nêgo tá matando a mata!

Por cima daquele morro
Passa boi, passa boiada,
Passa boiada.
Tem movimento paca!
Tem movimento paca!

Paca, tatu, cotia, não,
Paca, tatu, cotia, não,
Não tem na serra não,
Ah, porque nêgo mata!
Ah, porque nêgo mata!

Joguei uma pedra nágua,
De pesada foi ao fundo
E foi ao fundo,
E ninguém disse nada!
E ninguém disse nada!

Tubarão, peixe, piaba,
Tubarão, peixe, piaba,
Não respondem não,
Ah, se não, nêgo mata!
Ah, se não, nêgo mata!

Batatinha, quando nasce,
Esparrama pelo chão,
Esparrama não,
Ah, porque nêgo cata!
Ah, porque nêgo cata!

E passarada passa o arado,
E passarada passa o arado,
E nada vem do chão,
Ah, porque nêgo rapa!
Ah, porque nêgo rapa!

E morre a fauna e não se ouve
O sabiá cantando!
E morre a flora e não se vê
A flor desabrochando!
E não se escuta mais o ronco
Daquela cascata!
É o fim da água, é o fim da vida,
Nêgo tá matando a mata!

Nêgo tá matando nego,
Nêgo tá matando a mata,
Nêgo tá matando a mata.
A mata, nego, nego, mata!
Nêgo mata a mata.

Ô, nego! Ô, nêgo!
O nêgo, nêgo, nêgo mata,
O nêgo mata, nêgo mata,
Nêgo tá matando a mata,
Nêgo tá matando nêgo!
Nêgo mata a mata.

Ô, nego! Ô, nêgo!
Ô nêgo, nêgo,
Nêgo tá matando a mata,
Nêgo tá matando a mata!

Composição: Arnaud Rodrigues · Esse não é o compositor? Nos avise.
Enviada por Rafael
5.026 exibições
Ver mais fotos

Comentários


Quem curte?

Músicas
Ouvindo agora ouvintes online
    Artistas
    Estilos Musicais
    Playlists
    Recentes
      Destaques
      Últimos destaques
      Mais