exibições 6.744

Em7 F#m5-/7 Em
Passa o tempo e a vida passa, e eu de alma ingênua acredito
Am7 Em7 F#m5-/7 B7 Em
Num sonho doce, infinito, plenitude, enlevo e graça
D7 D/C G/B D7 D/C G/B
Que sem tortura ou revolta estou cantando ao luar
F#m5-/7 B7 Em F#m5-/7 B7 Em Ebm7
Vamos dar a meia volta, volta e meia vamos dar
Fm5-/7 Bb7 Ebm7
Depois a estrada poeirenta, os pés sangrando em pedrouços
Abm7 Ebm Fm5-/7 Bb7 Ebm7
E apaziguando alvoroços a alma intranquila e sedenta
Db7 Gb7+ Db7 Gb7+
Murchessem todas as flores e a correnteza das horas
Fm5-/7 Bb7 Ebm7 m5-/7 Bb7 Ebm7
As trevas sobre as auroras, e os derradeiros amores
Fm5-/7 Bb7 Ebm7
Recordo o passado inteiro e as voltas que o mundo dá
Abm7 Ebm7 Fm5-/7 Bb7 Ebm7
Meu limão, meu limoeiro, meu pé de jacarandá
Db7 Gb7+ Db7 Gb7+
E aquele ao léu do destino que inspirou tanto louvor
Fm5-/7 Bb7 Ebm7 Fm5-/7 Ebm7
Cajueiro pequenino carregadinho de flor
Fm5-/7 Bb7 Ebm7
Passa o tempo e eu fico mudo, ontem ainda a ciranda
Abm7 Ebm7 Fm5-/7 Bb7 Ebm7
Vida à toa, a trova branda agora envolvendo tudo
Db7 Gb7+ Db7 Gb7+
O vale nativo, os combros, várzea, montanha, leveza
Fm5-/7 Bb7 Ebm7 Fm5-/7 Bb7 Ebm7 Em7
Essa poeira de escombros de que se nutre a tristeza
F#m5-/7 B7 Em7
Velho, recordo o menino, que resta de mim, sei lá
Am7 Em7 F#m5-/7 Em

Terra Música feedback