Somos Poucos Mas Somos Loucos

Charlie Brown Jr.

exibições 187.237

Oh! Charlie Brown Junior, disco 5
Somos poucos, mas somos muito loucos
Skateboard na veia, vira boys on the house, santos!

Escuta-me condons o que me vai então fazer nesses pontos?
Somos a verdadeira nação, tudo irmão andar na linha
Seguindo o que tá além frente a frente tâmo fazendo a mobilização
Tâmo onde estão os manos pensamentos insanos milhas e minas e manos
Estava abandonado por estar no poder e ou por tentar se divertir
Não sou como aquele mano que te julga
Nem tão pouco quanto aquele que se julga
Que não se segura que não se situa
Que não pode ver neguin se dando bem que já fica com zóIão de lula
Quanta cultura um tiro não cura acabou a loucura ficou a fissura e daê
Proibidão adiantou, família! Base, é nós, tá ligado já é, Santos!

Charlie Brown!
Pra mim uma rima louca é tipo pá aprendizado
Que muda todo o quadro e deixa os mano ligado
Que a vida cobra muito sério
Você não vai fugir
Não pode se esconder e não deve se iludir
Toca na ferida tipo rap nacional
Como fez o Mano Brown, revolução mental

O barato vai batendo no estéreo do meu carro
Quando tá rolando rap, eu só escuto, eu não falo
Eu sou um cara branco, eu admiro a negritude
Nikimba, sabotagem, nego aplique então, tarobinha, Rapin´n Hood
O que vale é a atitude, atitude é o que não falta
Aê... Sujô, são eles!
(Você se lembra)
Não é escolta

Hoje eu só procuro a minha paz
Hoje eu só procuro a minha paz
O porta-voz tem que te informar
O porta-voz tem que te acrescentar
Se não vacilou, vacilou, vacilou, vacilou
Porque qualquer laia, não dá não

Me diga no raga muffin vamos fala a verdade
Me diga no raga muffin vamos então fala a verdade
Chorão e Champignon, mas que responsabilidade
Pelado na batera e Marcão na guitarra
Deixa nego na poeira
Deixa nego na saudade, na saudade

Autoridade vem, invade sem critério nenhum
Som na sirene, cheiro da morte
Derrubaram mais um
Na frente do filho eles quebraram o pai
O zé povinho fardado, vem, entra, mata e sai
Sem ter julgado
Corrompido, alienado revoltado, fracassado
Vai pintando esse quadro
O quadro do filme da sua vida
O quadro de vidas e vidas da maioria esquecida
Decorrente do descaso e da corrupção
Moleque cresceu, não tinha emprego, então virou ladrão
Menor bolado por aí tem de montão
Morre um, nasce um monte com a maior disposição
Sua própria vida lhe ensinou
A caminhar com as próprias pernas
Resta agora você se livrar do mal
Que te corrói, te destrói

Hoje eu só procuro a minha paz
Hoje eu só procuro a minha paz
O porta-voz tem que te informar
O porta-voz tem que te acrescentar
Se não vacilou, vacilou, vacilou, vacilou
Porque qualquer laia, não dá não

Me diga no raga muffin vamos fala a verdade
Me diga no raga muffin vamos então fala a verdade
Chorão e Champignon mas que responsabilidade
Pelado na batera e Marcão na guita
Deixa nego na poeira
Deixa nego na saudade, na saudade

Os exterminadores do futuro somos quase todos nós
Quase todos nós
O motivo da glória, muitas vezes é o motivo da guerra
Porque o gosto da vitória é saber lidar com a espera
Qual será a solução, se já não se sabe nem qual é o problema?
Qual é que é teu problema, qual é que é teu problema mané?
Qual é que é teu problema, qual é que é teu problema mané?
Quem tem boca fala o que quer, mas não pode ser mané
Já é!

Terra Música feedback