Letras de músicas - Letras.mus.br

O Barato É Loco

De Menos Crime

(2x) O Barato é louco, o processo é lento;
Vagabundo é mal, vai vendo;
Loco é sempre loco, RA-TA-TÁ pipoco;
1, 2, mano de fé até o osso.

Você que domina então essa pegada;
Tome cuidado então no que fala;
Revolucionário então, cobro falhas;
Me importo com o sistema que nos abala;
Ta embaçado a situação, sem sentido, precária;
Bolo demais como sacode o malugo;
Com certeza, só mais um malugo na solitária;
Trancado á sete chaves pelo destino;
Que não admite falhas, falhas, falhas;
Com a boca seca, coração acelerado;
Dominado pelo mal, um pobre otário;
Entrou em sua sombra, dominou a sua mente;
Independentemente não justifica seus atos e fatos;
Causados por gangstas, gangstas, gangstas, gangstas e polícia;
Causada a aproximação pra justiceiro ou não;
Sentaram o pau no Sabotage, consciência que bate;
Mano vingado, a única solução;
Justiça na rua é falha;
Violência na rua é como praga;
Mas eu sei com quem eu ando;
O meu time é bem forte, aí malandro;
DRR, Unidos Defensores do Ritmo de Rua.

(2x) O Barato é louco, o processo é lento;
Vagabundo é mal, vai vendo;
Loco é sempre loco, RA-TA-TÁ pipoco;
1, 2, mano de fé até o osso.

O sistema fecha o jogo e a rotina não para;
Quem parte pro arrebento só quer ver sua cara;
Vai bem a independência pra quem ta envolvido;
A lei da favela é a lei do bandido;
Instinto preso dentro, foragido;
Na trairagem é surpreendido;
Click, clack, esse foi seu fim;
Quantos manos de fé morreram assim;
Os tempos são outros, século XXI;
O barato é mesmo doido;
Quem desandou hoje ta na amargura;
Não vou julgar, cada um com a sua loucura;
É o contraste das ruas, muito mano curtindo fissura;
A vida é curta pra mentes reduzidas;
Na prancheta da perícia não quero ser estatística;
Famílias desfeitas em ações frustradas;
Aí ladrão, muita calma, todos querem ter;
O seu dia de glória, mas pense bem;
Bem, pra que depois não se arrependa;
Seus pés correm rápido para o mal;
Rápido pra derramar o sangue inocente;
Desconhecem o caminho da paz.

(2x) O Barato é louco, o processo é lento;
Vagabundo é mal, vai vendo;
Loco é sempre loco, RA-TA-TÁ pipoco;
1, 2, mano de fé até o osso.

Me olho no espelho e me vejo;
To muito louco, armado, daquele jeito;
E começo á refletir a atitude daquele guarda;
Só vira homem quando está de farda;
Palco de inveja que nossa cara é favela;
Discriminado, mal-intensionado;
São Mateus, Vila Prudente, Butantã;
O cheiro de pólvora no ar, a rota vem pra matar;
Cresce a matança, só cresce, cresce, cresce, cresce, cresce;
Lembrança de um mano firmeza que partiu de repente;
Na fita do milhão muitos voltaram, muitos partiram;
Derrubado, sufocado, levaram tiro;
No gavetão do IML não quero nem pensar;
Todos vão ter que passar por lá;
Clima de tensão, não dá pra escapar.

(2x) O Barato é louco, o processo é lento;
Vagabundo é mal, vai vendo;
Loco é sempre loco, RA-TA-TÁ pipoco;
1, 2, mano de fé até o osso.

Composição: Andermad, Mikimba, Mago Abelha e Lerap · Esse não é o compositor? Nos avise.
Enviada por Gabriel
31.648 exibições
Ver mais fotos
Músicas
Ouvindo agora ouvintes online
    Artistas
    Estilos Musicais
    Playlists
    Recentes
      Destaques
      Últimos destaques
      Mais