Letras de músicas - Letras.mus.br

Escola dos 90

Dealema

Nós estamos cansados, de toda esta teia que nos envolve
e mais do que nunca, está na altura de assumirmos controle
vimos da escola dos 90, onde tudo era em câmara lenta
tu não precisas de mais promoção
mano, tu precisas de uma sebenta
dado o hip-hop de hoje em dia
depende da imagem ou da fachada
muitas bases orelhudas, mas com letras cheias de nada
porque esses putos são fantoches na mão de grandes empresários
que os exploram noite e dia
na busca de montantes extraordinários

já não somos putos, somos gajos adultos
na indústria musical provocamos tumultos
nós somos músicos, não nos damos por meninos
somos Jorge Palmas, somos Sérgios Godinhos
cagámos para rótulos, criamos o nosso nicho
chamam-nos bandas de culto, de núcleo rijo
sendo assim exijo, devido reconhecimento, atribuído
para regozijo deste movimento
não é hobby, é trabalho árduo sem lobby
vivemos aqui ao tempo, não aterrámos num óvni
regressámos para recolher o dízimo em dívida
porque isto não é só uma profissão, é a nossa vida

HAN, quando ouvires Dealema, mano grita, grande cena
nova gaia, porto, mano grita, grande cena
otários contaminam o tempo de antena
quem é que realmente traz a bomba que rebenta
não queremos ser famosos, porquê?
porque estupidificação, ilude-vos, preenche-vos
nunca iremos ter sucesso porquê?
somos reais demais, a escrita eleva-nos, transcendo-nos
estamos noutra prateleira, pára e pensa
atingimos ofensa como um tiro na cabeça
não temos paciência para abrir falência
bombardeamos em potência com super potência
palhaços transformam isto num circo de rua
hip-hop não se resume a esses filhos da puta
chavála não tens culpa, desliga a musica
a MTV torna a tua mana numa...

Nós estamos cansados, de toda esta teia que nos envolve
e mais do que nunca, está na altura de assumirmos controle
vimos da escola dos 90, onde tudo era em câmara lenta
tu não precisas de mais promoção
mano, tu precisas de uma sebenta
dado o hip-hop de hoje em dia
depende da imagem ou da fachada
muitas bases orelhudas, mas com letras cheias de nada
porque esses putos são fantoches na mão de grandes empresários
que os exploram noite e dia
na busca de montantes extraordinários

Infiltrámos como vimos, a indústria musical, droga mental
põe a ver o invisual, donde vimos
a simplicidade é essência
os fingidos só reconhecem a aparência
rimas são tiros, balázios líricos, que matam tiranos
dão vida a criativos
a precursão abre o portão da percepção
e a palavra, acaba com a manipulação
e o controlo,
de frequências dá de novo o significado à tua existência
formamos juntos escudo de luz dourado
que canaliza informação num estado alterado
verbalizando, neutralizamos nos actos
moldando, de forma drástica, a estrutura dos átomos
com rimas, que revelam novos paradigmas

Nós estamos cansados, de toda esta teia que nos envolve
e mais do que nunca, está na altura de assumirmos controle
vimos da escola dos 90, onde tudo era em câmara lenta
tu não precisas de mais promoção
mano, tu precisas de uma sebenta
dado o hip-hop de hoje em dia
depende da imagem ou da fachada
muitas bases orelhudas, mas com letras cheias de nada
porque esses putos são fantoches na mão de grandes empresários
que os exploram noite e dia
na busca de montantes extraordinários

Composição: Sabe quem é o compositor? Envie pra gente.
Enviada por João
Legendado por pm_13
26.955 exibições
Ver mais fotos
Músicas
Ouvindo agora ouvintes online
    Artistas
    Estilos Musicais
    Playlists
    Recentes
      Destaques
      Últimos destaques
      Mais