A Rua É Nois

Emicida

exibições 138.693

Bruce slim, emicida e lenda
Zona norte, cachoeira, vila medeiros
A rua é nois
A noite num busco brilho, deixo a lua brilhar
Sigo sem rumo sem rota, deixo o momento levar
Entre urbanóides insanos, eu elevo meu ser
A rua é nois e nunca vai deixar de ser

Perdi e acordo pensando nas rima da noite passada
Bocejo e reclamo quando ponho a meia furada
Minha coroa, dar as bença
Vou pá cidade tensa, deixa eu pegar meus patuá
Pra me livra das desavença
Que vem, mais num vai me parar no caminho
Sagrado é meu ritual de cumprimentar os irmãozin
Salve, "firmeza tio", é isso mesmo rapaz
"E o cd carai" logo mais logo mais
Se acordo em minha direção
Estico os zóio que nem lesma

Levanta e anda vacilão se não cê vai morrer na mesma
Trampo pedi outra aparência que vale o raciocino
Por isso meu partido é alto eu bato em mesa de alumínio
No ultimo banco do buzum
Com os fone cabeça baixa, testo encosta nos vidro
Eu vou entertido com as faixas
No asfalto que passa rápido igual o tempo que voa
Vem e vão com freqüência que a vida nos traz pessoa
Certo, errado ou neutro é o mundo tá cheio parceiro
Resta excluir sanguessuga, fica só os verdadeiros
Vo com Deus na caminhada, em território ferrenho
Quero dinheiro no bolso, irmão o bolso já tenho
Murmuração como manta, brilhando igual zircônia

Singelos ratos do castelo
Escondidos na babilônia
Entre o ruído do vinil
Tira minha vida do ralo
Eu deixo boa impressão, igual rolex na coab
Família é em primeiro lugar é o que há
Um dia chega pros real só ter fé que vai clarear
Tô em casa com os bit mais pesado que o fat joe
As mina chega, os zoi brilhando em bando e diz "oi"
O que ofereço e meu sorriso de lua minguante
Enquanto a base bate mais que as policia no falante
Emicida e lenda norte manda bem como de costume
Que cê tá fazendo que não aumentou o volume

A noite num busco brilho, deixo a lua brilhar
Sigo sem rumo sem rota, deixo o momento levar
Entre urbanóide insanos
Eu elevo meu ser
A rua é nois e nunca vai deixar de ser
Num busco brilho, deixo a lua brilhar
Sigo sem rumo sem rota, deixo o momento levar
Entre urbanóide insanos, eu elevo meu ser
A rua é nois e nunca vai deixar de ser

Eu vou seguir o meu caminho
Ladrilho da rua zero
Largado pé de chinelo
Singelo como eu quero espero eu ser sincero
Diante toda mentira
Crendo nesse meu sonho
Que um dia o dinheiro virá
Tem mano que conspira inspira
E zoa a gente
Balança, brilha corrente
Bota ouro nos dente
Eu sou demente,retardado
Igual que você diz

Cê tá nos pano eu largado
Mais sou muito mais feliz
Faço o role do loco
As vezes passo sufoco
De noite pela madruga
Com a lua rachando o coco
Mais sempre caminho pela rua
O vento conduz
Fazendo rima e batalhando
No santa cruz
Por entre verso me expresso
Felicidade não meço

Com alguns role estresso
Mais o que tenho progresso
O que eu peço é sempre estar
Por perto dos amigos
Nem tudo vale a pena quando não estão comigo
Assim eu sigo
No role qualquer fita a gente brisa
Ponho o boné folgado de lado
Camisa lisa
Embarca na viagem
Da arca entre cidade
Felicidade encontro ou entro em calamidade
Assim expresso meu momento

Talento tenho de sobra
Nunca terei monumento se eu não construi minha obra
Eu faço a minha arte
Construo de parte em parte
De tarde fico no site de noite role no mate
Tô sempre no combate
Guerra espero vencer
Na rua onde me inspiro para poder escrever
A lenda viva que persiste
Segue sempre na ativa
Nãovou sair pra agua reativa ou biticativa
É auditiva onda sonoras

Deixa neurônios
Na rua dos retardados
Causando um pandemônio
Relaxe e passe a minha
Deixo a lua brilhar
Sigo sem rumo e rota
Deixo o momento levar
A noite não busco brilho
Deixo a lua brilhar
Sigo sem rumo, sem rota
Deixo o momento levar
Entre urbanoides insanos
Eu elevo meu ser
A rua é nóis e nunca vai deixar de ser.

Terra Música
feedback