Bala de Prata

Fernando e Sorocaba

exibições 510.625

Criminosa
Não posso olhar dentro do seu olhar
Bala de prata acerta pra matar
Virei seu refém e não quero escapar

Bandida
Você atirou em minha direção
E acertou bem no meu coração
Minha vida ficou na palma de suas mãos

Hoje cedo acordei, mas sei lá
Uma coisa diferente em mim
O meu corpo arranhado, suado
Uma história sem começo e fim

Ela entrou no meio da noite
Tem a chave do meu coração
De repente soltou seus cabelos
Me entreguei sem ter reação

Não posso olhar dentro do seu olhar
Bala de prata acerta pra matar
Virei seu refém e não quero escapar

Bandida
Você atirou em minha direção
E acertou bem no meu coração
Minha vida ficou na palma de suas mãos

Estou vivendo na cela da paixão
Eu fui condenado pelo amor
Ela é perigo, é abrigo
Uma mistura de querer e dor

Ela é um pouco do fogo e do gelo
Ela é sol, é chuva de verão
O seu charme me fez prisioneiro
Invadiu de vez meu coração

Não posso olhar dentro do seu olhar
Bala de prata acerta pra matar
Virei seu refém e não quero escapar

Bandida
Você atirou em minha direção
E acertou bem no meu coração
Minha vida ficou na palma de suas mãos

Criminosa
Não posso olhar dentro do seu olhar
Bala de prata acerta pra matar
Virei seu refém e não quero escapar

Bandida
Você atirou em minha direção
E acertou bem no meu coração
Minha vida ficou na palma de suas mãos

Criminosa
Criminosa

Terra Música
feedback