Toque o Galpão

João Luiz Corrêa

exibições 827

Quando um candieiro se acende,
Toda a peonada se arrancha,
Um violão sai resmungando
E a gaita pedindo cancha...
A espora velha se arrasta,
Fazendo sulcos na sala,
E o cantor abre seu peito,
Numa vaneira baguala.


(Refrão)
Nem bem a gaita floreia
E a morena me campeia,
Retrechando no salão...
A moçada se entrevera,
Que nem galinha em quirera,
Neste toque de galpão.


Um contrabaixo reiúno,
Que mais parece um cincerro,
Um pandeiro meio mocho,
Fazendo ecos nos cerros...
O gaiteiro espicha os olhos,
P´ra coringar as morenas
E vai soqueando a cordeona
Enrolado nas melenas.

A gaita segue rangindo,
Que nem moenda de tafona
E a moçada mais afoita
Procurando as querendonas...
Neste toque de galpão
A sala é um mundo pequeno,
Enquanto a lua lá fora
Fica bebendo o sereno.

Terra Música feedback