Do Cerne da Terra

Julio Saldanha

exibições 1.702

Matei a sede na vertende das canhadas
Que brotam frias das raízes do capim
Forjando a templa que carrego como marca
Dos que cruzaram por aqui antes de mim

Se sou herdeiro desde chão que nos abriga
Esta canção quero cantar pra ti
Agradecer a sombra amiga deste mato
E a cada amigo que plantei aqui

O mesmo rio que nos divide, mata sede
A mesma terra dividida, mata a fome
Por que razão plantar fronteiras e tapumes
Se os corações são iguais em cada homem

Que se acendem nessa noite as labaredas
Que nos aqueçam o angigo e o tarumã
Das mesmas terras brotem outros com mais viço
Para aquecer os pescadores do amanhã

Composição: Miguel Bicca/Luis Carlos M. Batista/Odemar Gerhadt · Esse não é o compositor? Nos avise.
Enviada por Senhora do Lago
Viu algum erro na letra? Envie sua correção.
0 comentários
Terra Música feedback