Letras de músicas - Letras.mus.br

Gemidos Inexprimíveis

MN e a junção

Nariz de Pinóquio abre o zói que aqui não é Tóquio
Você é micróbio mas vejo sua farsa sem telescópio
Paradoxo se faz de santo paga de do bem
Mas com seu papo furado não engana ninguém
Na sua própria ideologia negativa cê se enrola
Fala, fala, fala um monte, fala uma pá de groza
Incomoda é tanta picuinha que irrita
Só manda idéia torta nunca construtiva
Quem se identifica não identificou o môio
É tipo piolho que vai pela cabeça dos outros
Não gostou fez cara feia tipo ficou com nojo?
O negócio é o seguinte vai ver se o porco botou ovo
Te deixo enjoado depois te dou vinagre com maisena
Minha rima te deixa com frio que nem galinha sem pena
E por falar em galinha me lembrei de uma rima do OFICINA DA RIMA
Qué moleza frangalho? Vai chupar minhoquinha!

Eu duvido...
Duvido sai cera da sua boca sai asneira
Então cala a boca e para de falar besteira
Cê qué que eu provo, eu faço a prova e tiro dez
Abro o mar pro povo passar como fez Moisés.

Duvido sai cera da sua boca sai asneira
Então cala a boca e para de falar besteira
Cê qué que eu provo, eu faço a prova e tiro dez
Abro o mar pro povo passar como fez Moisés.

Desacreditados de plantão abaixem a mão
Porque Rap pra mim não é só lazer é profissão
Eu não me acho, só não me rebaixo pra bagulho
Quando colo nos bang gosto de barulho!!!
Aliás eu só me acho quando eu to perdido
Apareço mesmo eu não to escondido
Muitos não gostam de mim falam mal, coisa e tal
To nem aí prefiro ficar aqui na vibração
Se for pra resolver resolvo de mic na mão
O meu free style estoura tímpano de vacilão
Inveja não contamina quem tem a vibe positiva
Inveja não interfere na minha moral
Eu nasci pra causar comédia passa mal
É nóis que ta chegando pra rimar
Pode até criticar, acusar e querer condenar
Mas nosso bonde nem o inferno vai parar.

Eu duvido...
Duvido sai cera da sua boca sai asneira
Então cala a boca e para de falar besteira
Cê qué que eu provo, eu faço a prova e tiro dez
Abro o mar pro povo passar como fez Moisés.

Duvido sai cera da sua boca sai asneira
Então cala a boca e para de falar besteira
Cê qué que eu provo, eu faço a prova e tiro dez
Abro o mar pro povo passar como fez Moisés.

Palmas pra quem te quer porque eu mesmo não te quero
Aliás te quero longe de mim no cemitério
Falo sério pra lero, lero é game over
Sou simplesmente diferente não faço Rap cover
Sou a torre de babel desmoronando na sua cabeça
Quando eu chego você fica com medo e derrete que nem manteiga
Nos seus olhos sou areia irritante, irônico
Porém trago a dor contida em filme de terror
Sei que sou pecador mas não sou falso que nem você
Que me vê na rua e pergunta: "Oi tudo bem com você?"
Depois sai rindo, zoando, caçoando
Criticando meu flow, minha pegada, minha vila, meus manos
Por isso pego sua falsa fala seu ventríloquo
Trituro e esculacho como um liquidificador
Onde Judas perdeu as botas você vai perder a razão
Porque a linha já perdeu e pra mim levantou a mão.

Eu duvido...
Duvido sai cera da sua boca sai asneira
Então cala a boca e para de falar besteira
Cê qué que eu provo, eu faço a prova e tiro dez
Abro o mar pro povo passar como fez Moisés.

Duvido sai cera da sua boca sai asneira
Então cala a boca e para de falar besteira
Cê qué que eu provo, eu faço a prova e tiro dez
Abro o mar pro povo passar como fez Moisés.

Composição: MN. · Esse não é o compositor? Nos avise.
Enviada por Anderson
917 exibições
Ver mais fotos

Comentários


Quem curte?
Músicas
Ouvindo agora ouvintes online
    Artistas
    Estilos Musicais
    Playlists
    Recentes
      Destaques
      Últimos destaques
      Mais