Ferro a Brasa

Mocóca & Paraíso

Um certo dia fui rever os meus parentes
Na fazenda Sol Nascente e a surpresa me esperou
O meu irmão veio dos fundões da casa
E me deu um ferro à brasa que a nossa mãe deixou.
O que pra muitos pode ser até tranqueira
Hoje lá na cabeceira, um abajur dele eu fiz,
Me faz lembrar a sua luz que me rege
Que eu só tinha um terno bege, mais eu era tão feliz!

Ferro à brasa, o calor que hoje me queima
É uma saudade que teima reviver aquele amor
Ferro à brasa aquecido pela idade
Hoje passa a realidade só não passa a minha dor!

Voltando ao tempo vejo mamãe preparando,
Esse ferro, assoprando as brasas do tição;
Depois passava com carinho sem preguiça
Nossas roupinhas de missa, de festa a procissão.
Olho esse ferro do abajur é a claridade
Sinto as brasas da saudade me queimar o coração,
E o pensamento vai passando meu passado,
No tecido amarrotado de mágoa e solidão!

Composição: José Caetano Erba e Paraíso · Esse não é o compositor? Nos avise.
Enviada por ANDRE
4.916 exibições
Ver mais fotos
Músicas
Ouvindo agora ouvintes online
    Artistas
    Estilos Musicais
    Playlists
    Recentes
      Destaques
      Últimos destaques
      Mais