Sanfoneiro Pachola

Os Bertussi

exibições 5.660

Domingo, segunda, terça, quarta, quinta, sexta-feira
Qualquer dia da semana, pra farrear sou companheiro
Me chamo Adelar Bertussi, cantador, bom sanfoneiro
Afamado no Rio Grande, também no Brasil inteiro

Meu chapéu de aba larga, de barbicacho de prata
Bombacha de friso largo, botinha fole-de-gaita
Na cintura um bom Schimidt, no cabelo um bom cheiro
Na espora muita honra, no bolso muito dinheiro

Se eu boto o traje gaúcho, só pra dar minhas volteadas
Se eu monto na égua estrela, por morena batizada
Seu eu arrojo a estrela, dou um grito e páro a fala
Derrubo, piso na orelha, nem se quer enleio o pala

Quando eu vou pra Criúva nos domingos de manhã
Dou a volta pela vila, como se eu fosse um galã
Depois pra mim não tem hora, pra mostrar que eu sou cancan
Pego na minha gaita e toco, pra alegrar as minhas fãs

Se eu saio de São Jorge e vou pra outra encruzilhada
Eu não fico atrapalhado e já arrumo namorada
Seu eu pego na minha gaita pra alegrar com a moçada
Eu canto cada versinho, deixo as moças apaixonada

Se eu tô cantando um verso e resolvo de parar
Já paro na mesma hora sem ninguém me contrariar
Dou um floreio no teclado pra melhor desempenhá
Sou um nó na minha garganta e fecho a gaita pra encerrar

Composição: Honeyde Bertussi/Adelar Bertussi · Esse não é o compositor? Nos avise.
Enviada por Lukas
Viu algum erro na letra? Envie sua correção.
0 comentários
Terra Música feedback