Ditado Sertanejo

Tião Carreiro e Pardinho

exibições 42.613

No lugar que canta galo, decerto que mora gente.
Que é muito bonito é lindo, que muito feio é indecente.
A água parada é poço, riacho é água corrente.
Toda briga de muié, o que faz é língua quente.

Onde tem moça bonita, de certo que tem namoro.
Onde tem muié baixinha, tem relia e desaforo.
Mistura sogra com nora, pode ver que ali sai choro.
Na vila que tem polícia, banho de pau d'água é couro.

Amor de mulher rusguenta, catinga jaratataca.
Doença do rico é gripe, doença do pobre é ressaca.
Dança de rico é baile, dança do pobre é fuzarca.
O rico educa na escola e o pobre educa no tapa.

O que agrada moça é carinho, o que agrada véio é café.
O homem que fala fino, não é homem nem mulher.
A mulher que fala grosso, ninguém não sabe o que é.
O lar que não crer em Deus, quem domina é o lúcifer.

O que faz sapo pular, tem que ser necessidade.
Pessoas que falam muito, nem todos dizenm a verdade.
Com o tempo a flor perde a cor, e nóis perde a mocidade.
O janeiro traz velhice, e a velhice traz saudades.

Terra Música
feedback