Letras de músicas - Letras.mus.br

Depois Das Zero

Tribo da Periferia

Aah é kamikaze, essa máfia termiza suas ações fi
Viaja não, sente essa parada !

Depois das zero na rua (4x)

Em passos em falsos o som já não é mais o mesmo
Silêncio dos falsos ecôam em meus pensamentos
Eu réu confesso nesse crime chamado momento
Onde meu tormento é ser perpétuo no artigo nascimento
Dá pra sentir os inimigo a minha volta tramando
Por minha revolta e sangrando com minha história e minha luta
Me farta de whisky cerveja e vodka aplaude a minha derrota
E goza com a minha lógica conduta

Passou das duas de joelhos inocentes,
Os culpados apedrejam as viaturas reicidentes
Não aplauso aos influentes, o espelho em nossa frente
Quem inssiste em nos manter com medo mais 12 no pente
E que amanheça mais um dia as mentiras floresçam
Destrói familía e que o rap e as rimas apodreçam
E que receba o que plantar e com seu total mérito
Qual inocência tem crédito

Depois das zero na rua (4x)

Se é só sentir o que se aprende, o que se vale aqui
E o que te cobra é o que redobre a força pra subir
Se pede sonho sem saber o que quer construir
Desacredita vai ser menos que um prato de cuspir
Desinrolando o jogo, civil refém de novo
Homem da rua não deslumbra a dimensão do todo
O bang ficou louco, e o que sobra é troco
Várias etapas são puladas não tem mais retorno
Depois das zero no escuro é o que dá lugar
E o que te move é lutar quanto que te vem buscar
Amenizar é um jeito de parar pra pensar
Não se levar pelo que envolve ao querer te usurpar
Me diz quem ganha em meia grana de quem quer te fuder
E nem me liga é só nóis memo e que o bagulho render
Tamo no polo muito louco sem deixar se envolver
Sem sustento, o que vem pra você

Depois das zero na rua (4x)

Notei que, já faço parte dessa porra
Na podridão fazer canção pra sodoma e gomoha
Avisa lá pros bamba que a tribo foi á forra
Fez rap pras mina mais na matilha só dá cachorra
Vem, que eu prometi pra mim mesmo que eu vou como for
Se armado eu tô, num interessa negô, é isso memo
Bem mais que um bumbo piano, numa caixa no som batendo
Tem um suburbano cantando diante do veneno
Quero levar alegria pros muleque com meu rap
Não agradar o fã clube da ivette
Quem conhece a rua sabe a verdade que nóis precisa
Conheça as potoca e a real história de cada esquina
Respeito á minha doutrina, minha rima meu trajeto
Respeito a sua vida, pra mim não objeto
Não vou cantar político a revolta dos sem teto
Falou da minha quebra das fita que eu vejo de perto

Depois das zero na rua (4x)

8.999 exibições
Ver mais fotos
Músicas
Ouvindo agora ouvintes online
    Artistas
    Estilos Musicais
    Playlists
    Recentes
      Destaques
      Últimos destaques
      Mais