Letras de músicas - Letras.mus.br

Rio Preto era um negro
Criado na sujeição
No golpe da liberdade
Nego virou valentão

Pos na cinta um Bacamarte
do outro lado um facão
As donzela e as casada
Nego deu perseguição

Foi na casa do Zé Leite
Zé Leite não tava lá
Achando a mulher sozinha
Nego pegou a intimar

Não me aceite por visita
Que eu não vim lhe visitar
Monte aqui na minha garupa
Que eu vim é te buscar

A mulher lhe ofereceu
Duas pataca de ouro
Só me interessa a senhora
O mulher deixe de choro

Essa sua formosura
Vale mais que um tesouro
Se o Zé Leite acha ruim
Queimo pórva no seu couro

Zé Leite quando chegou
Soube do que acontecia
Foi dizer pra sua sogra
Vim entrega sua filha

Quem tratou dezoito anos
Pode tratar mais um dia
Se eu não encontrar Rio Preto
Não procuro mais família

Respondeu seus dois cunhado
Que mostrava lhe estimar
Pode ser no fim do mundo
Rio Preto vamo encontrar

O primeiro atira bem
O do meio regular
O defeito do caçula
É todos tiro não erra

Sairam os três rapaz
Feito onça cumedeira
Atoparam com Rio Preto
No meio da capoeira

Foi na primeira descarga
Rio Preto arriou bandeira
To ferido rapaziada
To na hora derradeira

Eu voz peço José Leite
Não me acabe de matar
Me leve pro padre Amancio
Que eu quero confessar

A morte de Rio Preto
Fez o sertão sossegar
Acabou o pesadelo
Das família do lugar

  • Enviar legenda
  • Cifra
  • Ouvir música
  • Fotos
  • Vídeos
  • Imprimir
  • Corrigir
  • Enviar letra para...
10.970 exibições
Ver mais fotos
Músicas
Ouvindo agora ouvintes online
    Artistas
    Estilos Musicais
    Playlists
    Recentes
      Destaques
      Últimos destaques
      Mais