Vagabundo Trabalhador

Projota

Eu disse pra ela que eu não tinha casa, que eu não tinha nada de valor
Eu disse pra ela que eu não tinha asas, ela se assustou quando a gente voou
Nessa longa estrada da vida, consertei meu fusca só com meu instinto
Se a corrida te levou uns kilos faça um buraco a mais no seu cinto
Eu vi que um polícia pode te bater, pode te matar se fizer escondido
É uma forma de sentir poder, dentro da carcaça de um homem perdido
Eu me sinto pronto pras provas finais, um passo a mais me leva pra conquista
Sei que se todo mundo vai sofrer, o fato de nascer já te faz masoquista
Os meus amigos não falam inglês, não falam francês, nem espanhol
Mas quando estamos juntos a nossa luz ofusca até a visão do sol
Vou lutar por nós, esse é meu vício nessa terra cruel e hostil
Se você tá louco mandam pro hospício, se tiver mais louco mandam pro brasil

Eu não tenho salário, não tenho vocação
Não tenho experiência, nem vale refeição
Mas eu tenho um sonho de ter meu espaço e tudo que faço, faço por amor
Eles me chamam de vagabundo, vagabundo trabalhador

Eu não tenho salário, não tenho vocação
Não tenho experiência, referência de patrão
Mas eu tenho um sonho de ter meu espaço e tudo que faço, faço por amor
Eles me chamam de vagabundo, vagabundo trabalhador

Chora logo sua mágoa, sua vida sendo investigada
Onde você tava na manhã do dia em que sua esperança foi assassinada?
Na tv mais um filme de cachorro, na rua o sangue do nosso povo
A gente perde a luta, perde a guerra, mas não perde a chance de tentar de novo
Ah que saudade dos meus 16, desde a virada de 2000 pra cá
Todo ano passa rápido demais, todo ano o mundo vai acabar
Todo ano a medicina evolui, todo ano um ano que ficou pra trás
Todo ano eu tento ser melhor que fui, todo ano eu preciso de um ano a mais
Eu sou um vagabundo trabalhador, meu currículo é meu proceder
Sei que uns vivem pra trabalhar, mas o meu trabalho é viver
Eu sou um vagabundo trabalhador, eu mesmo resolvo meus problemas
Problema pra noiz é se minha certeza, forem de encontro com o seus dilemas
Eu sigo ligeiro, desconfiado, pois seu inimigo jamais te avisa
Eu só espero que lute de longe, pois seu sangue pode sujar minha camisa
Ferida de guerra pode curar, ferida de alma não cicatriza
Rouba minha carteira, rouba o celular, mas se não quiser treta, não rouba minha brisa

Eu não tenho salário, não tenho vocação
Não tenho experiência, nem vale refeição
Mas eu tenho um sonho de ter meu espaço e tudo que faço, faço por amor
Eles me chamam de vagabundo, vagabundo trabalhador

Eu não tenho salário, não tenho vocação
Não tenho experiência, referência de patrão
Mas eu tenho um sonho de ter meu espaço e tudo que faço, faço por amor
Eles me chamam de vagabundo, vagabundo trabalhador

Composição: Sabe quem é o compositor? Envie pra gente.
Enviada por Larissa
Legendado por Sharpay
26.964 exibições
Ver mais fotos
Músicas
Ouvindo agora ouvintes online
    Artistas
    Estilos Musicais
    Playlists
    Recentes
      Destaques
      Últimos destaques
      Mais