Letras de músicas - Letras.mus.br

O Rap Treme O Chão

Realidade Cruel

O rap treme o chão e levanta a poeira do asfalto,
Se pá acelera o coração até do mano mais calmo,
Playboy paga um pau, ladrão se identifica,
Pra mim é natural, batida que aterroriza,
Escuto a caixa acertada no volume máximo,
O som 2000 do pobre operário,
A trilha sonora predileta do criminoso,
Que o cotidiano cruel transformou em monstro,
O seqüestro, o resgate da mente,
Bem diferente, sem bala no pente,
De gente da gente, de pobre pra pobre,
Do leste a oeste, do sul ao norte,
Posso comparar com um furacão,
Um terremoto, um vulcão em erupção,
Um estilo que nunca esquece as palavras da bíblia,
Ó meu Senhor abençoe a periferia,
O pecador aqui também tem alma,
Eu sou a cicatriz do corte sem trauma,
O maníaco do parque, o louco do cinema,
O cachimbo de crack ou o isqueiro do sistema,
Não causa espanto pra nós sangue bom,
Aqui é a pura informação em forma de som,
Novela é novela, favela é favela,
Aqui ninguém se ilude, aqui ninguém se entrega,
Aqui ninguém requebra ou rebola na garrafa,
Muito menos acredita em conto de fadas,
Entre a cruz e a espada no fio da navalha,
Aí ladrão sente a batida explodindo a caixa.

Refrão:
O rap treme o chão, se é som de ladrão,
Aí ladrão, o rap treme o chão.

Como uma bomba, relógio tique e taque,
O rap é como a bola de boliche fazendo o strike,
Acelerado pra lá de 300 por hora,
Som que apavora, comunidade pobre agora,
É som de preto, há, há, sem preconceito,
É som de branco de atitude e de respeito,
E sem silêncio o que provoca euforia,
Tipo uma final no Morumbi de São Paulo x Corinthians,
A sirene de resgate do bombeiro,
O Hino Nacional do povo brasileiro,
A expressão realista que abala,
O maquiavélico cronista da favela que nunca se cala,
O diagnóstico se pá o raio x,
Que faz a CPI ou então a bomba pra explodir,
Eu comparo tipo assim e faço a rima,
Dedo amarelo no cachimbo uma cara de cinza,
O itinerário, a mente do usuário,
Ou do traficante assassino com o tambor lotado,
Vou mais além, eu vou muito mais,
Canto o rap violento na intenção de te passar a paz,
A minha voz de novo em ação,
Talvez minha missão vai além da interpretação,
O vento aqui se transforma em furacão,
Sangue bom então o rap treme o chão.

Refrão

Treme o chão e quem tiver na escuta,
Tem o poder de fogo de uma bazuca,
É tipo uma dum-dum que invade o seu coco,
Arregaço sonoro que levanta até morto,
Que invade a mente, afeta os sentidos,
Entra nos ouvidos, estoura os tímpanos,
Entra na veia há, faz a cabeça,
A sinfonia que invade a cadeia,
A fita é loka como uma rebelião,
Arrasta a multidão pra dentro do salão,
Consciente acima de tudo é lógico,
Arrasador como um meteoro,
Põe o sistema na mira e o povo engatilhando,
Não vai dar pra escapar, chegou o pânico,
Na febre fervendo pegando fogo,
Pra lá de 1000 graus ainda é pouco,
O estopim aceso, dinamite explosiva,
O som que contamina, aí não tem vacina,
Não, um dois pra firmar sangue bom,
É ou não é o rap treme o chão.

Refrão

Se o rap treme o chão eu também to envolvido,
Me expressando com fúria do raciocínio,
Sou pelo rap, sou pelo moleque,
O ministério da favela adverte,
Que o estudo é tudo, farinha não é nada,
O crack é o câncer, a desgraça que te mata,
Escuto um tiro, pressinto mais um morto,
Drogas mais um saldo negativo pro meu povo,
É o terror e eu to de volta em ação,
Aí ladrão o rap treme o chão,
Em barracos, madeira, resistência, trincheira,
Carrasco da burguesia,
Fala aí, fala aí minha anistia GOG pra vida,
Memórias, resistências, calabouços,
Prato vazio e já é hora do almoço,
E gira, gira, gira, gira, gira mundo,
Quinhentos anos não são alguns segundos,
Indigne-se, previna-se, vacine-se,
Mário Alves, Manoel Fiel Filho,
José Ponfilho, Lamarca, Armando Costa, Mariguela,
Torturados, executados nos porões das celas,
As dores se fez das seqüelas,
Mais aí, o amor vencerá a guerra,
O bem predominará na terra,
Num abalo que nunca se encerra,
Temor, clamor, o rap faz crateras,
Mudando o ar na atmosfera, abracadabra,
Cada palavra entoada é sagrada,
Ou então quem lutou e morreu, não morreu por nada,
Então vem, vem o que era um sonho foi bem além,
Mais que um belo livro, uma lição,
Mais que um lápis, caneta, libertação da voz da favela,
Se importa-se de cada refrão,
E sem fraudes, sem horário na televisão,
Elegeu poeta GOG e Jorge Aragão.

Refrão.

Composição: Douglas, Bolha, Keno, Flagrante, Renan e GOG · Esse não é o compositor? Nos avise.
Enviada por Gabriel
11.442 exibições
Ver mais fotos
  1. Quem Sabe Um Dia
  2. O Resgate
  3. Depoimento De Um Viciado
  4. Resgate
  5. Refém da Amnésia
  6. Ao Menos Uma Vez
  7. Dia De Visita
  8. Vale da Escuridão
  9. Tarde Demais
  10. Entre O Amor E O Ódio
  11. Triste vingança
  12. Gangsta Rap Nacional
  13. 1 Deus 2 Ladrões
  14. No Final do Arco Íris
  15. Amor Bandido
  16. Vale da escuridão Parte 2
  17. Deus É do Gueto
  18. Reflexões Momentâneas
  19. Quando O Tiro Do Fuzil Disparar
  20. Realidade Cruel
  21. Liga nóis
  22. Jardins de aço
  23. Olha Lá Quem Vem
  24. Sinal da cruz
  25. Deixa O Menino Brincar
  26. A favela chora
  27. O Crime Não é Creme
  28. Você Dizia Que Amava o Rap Como Eu
  1. A Trilha Sonora do Guetto
  2. Brinquedo maldito.
  3. Saudade
  4. Entre balas e rosas
  5. Mais Cruel Do Que Nunca
  6. Sentimento
  7. Tristes Recordações
  8. Morador di favela
  9. Filme Triste
  10. Terra Sem Lei
  11. Camburão Negreiro
  12. Bandido Mal
  13. Quem Vê Cara Não Vê Coração
  14. Atrás das grades de sangue
  15. A Vida Como Ela É
  16. Quem É Você?
  17. Mil Razões
  18. Colibri
  19. Demonio de Farda
  20. É Nós Mesmo Vagabundo
  21. Enquanto a Guerra Não Parar
  22. Não Me Leve a Mal
  23. O Terrorista
  24. Até os gladiador chorou
  25. Dos Barracos De Madeirite, Aos Palácios De Platina
  26. Amanhecendo No Apocalipse
  27. O bonde
  28. Entre O Inferno E O Céu
  1. Liberdade (Dia de Visita)
  2. Tsunami
  3. Mesmo assim
  4. Efeito Colateral
  5. Deus do Céu, o Sinal da Cruz
  6. Aqui é favela
  7. Nos Calabouços do Ódio
  8. Ritual de Sangue
  9. O Rap Treme O Chão
  10. Por Que Que Você Não Fez Te Amar
  11. Simples Homicidio
  12. O Amor Petrificado no Ódio Part. Guerreiro Vitor
  13. Barulho Conhecido
  14. Só Sangue Bom
  15. Passa A Bola
  16. Pesadão
  17. Bailes lotados
  18. Campo Minado
  19. A Selva Não É De Brinquedo
  20. UTI
  21. Tira o Pé da Lama
  22. De Ouvido a Ouvido
  23. Depoimento de um viciado
  24. Só Sangue Bom (Parte 2)
  25. Pede Pá Cola
  26. Dia de Visita
  27. Depoimento de Um Viciado
Músicas
Ouvindo agora ouvintes online
    Artistas
    Estilos Musicais
    Playlists
    Recentes
      Destaques
      Últimos destaques
      Mais