Letras de músicas - Letras.mus.br

Só Sangue Bom (Parte 2)

Realidade Cruel

Ligaram os periculosos, quatro louco de volta de novo,
Quadrilha anti-porco é só disparo de idéia no globo,
Pipoco voou, chicote estralou,
Pra quem duvidou das palavras do sangue bom narrador,
Sem pagar de matraca no júri da lei da bala,
No mundo é só quiaca, traição, conseqüência que mata,
É foda, desordem, raciocínio estimula extermínio,
Povo contra povo e patriota com nojo do hino,
Ligou, ligou pro arrebento vou que vou,
Cruel narrador, maquiavélico vingador,
Que choca, que faz da rima nossa arma pra guerrilha,
Destroça, apavora sem pólvora, pânico em prol da justiça,
E vai saber, vagabundo vai entender,
Como se fosse uma rajada na cara de quem rege o poder,
Vem, você quer saber com quantas pedras se joga o jogo,
Não é pra cima dos loucos, não é a Globo é o povo,
Sacrificado, cravado de bala na lei do canalha,
Sem rango na mesa sonhando com a prata,
Na selva de pedra o eco faz estrago,
Só sangue bom parte 2 abalando o cenário.

Refrão:
Só sangue bom, só sangue bom,
Só sangue parte 2 abalando o cenário,
Só sangue bom, só sangue bom,
Só sangue bom ssssssss abalando o cenário.

Bateu o forte o pulmão, acelerou o coração,
Constatou sangue bom que o bagulho é do bom,
Sonzão louco que invade a mente, rajada linha de frente,
Que bate de frente, quem deu milho na fita com a gente,
É nós trutão, é nós vagabundo,
É nós ladrão, vamos até o final do discurso,
Sem meia palavra, só mano que narra o crime na fala,
Pra quem na favela não é fã de canalha,
Rima até umas horas, foda-se quem ignora,
Quando pego a caneta e o papel nego chora,
Descabela quer entender, mas só quem é vai saber,
De ser justo, leal, humilde de proceder,
Não é pra qualquer um, aí doidão eu não dou um,
Não dou dois, vou na minha e não abraço ZUM-ZUM-ZUM,
Já foi levada louca que põe pescoço na faca,
De quem corre com os monstros, é RA-TA-TÁ no céu da boca,
É só por Deus maluco, é só pra Deus o futuro,
Ninguém, ninguém vai me libertar do túmulo,
Já que pediram pra representar o perigo,
Pra dizer que sou inimigo, pra fazer som agressivo,
Eu fui e fiz da minha forma louca de expressão mais sincera,
Pro honra e glória dos guerreiros que trilham na guerra,
Na selva de pedra o eco faz estrago,
Só sangue bom parte 2 abalando o cenário.

Refrão
Foram lá me chamar, vim aqui, o que que há?
Deixa de depor, eu quero é ouvir o som tocar,
Seja aqui ou lá, não importa o lugar,
Eu aprendi sangue A que só Deus pode julgar,
Uma par de mano no presídio, trancado feito bicho,
Tratado como nada, tipo escória, tipo lixo,
Meu som é pra invadir as grades e as celas,
Meu som é pra agredir os playboys da classe média,
Ladrão, sujeito homem na humilde e pura calma,
Vou assistir a vitória e bater palma,
De quem saiu do crime e nunca mais voltou,
De cabeça erguida se regenerou,
Eu sou tipo um relâmpago um raio fulminante,
Senhor guia minha voz e minha palavra neste instante,
Pra fazer do meu rap a chama que aquece,
A idéia de 1000 grau pra ligar pros moleque,
Pra sobreviventes do veneno da serpente,
Pra lá de inteligente, saber usar a mente,
Dinheiro, dinheiro te põe preço guerreiro,
Você vale o quanto tem dia e noite o dia inteiro,
24 horas sem parar e sem descanso,
A máquina que mata sem dó o ser humano,
Programado pra morrer e apodrecer debaixo da terra,
Infelizmente continua a guerra.

Composição: Douglas, Bolha, Keno e Flagrante · Esse não é o compositor? Nos avise.
Enviada por Gabriel
5.254 exibições
Ver mais fotos
Músicas
Ouvindo agora ouvintes online
    Artistas
    Estilos Musicais
    Playlists
    Recentes
      Destaques
      Últimos destaques
      Mais