Tecla Pause

Facção Central

exibições 23.016

Queria reescrever a sinopse do drama, sem desfibrilador ressuscitando na ambulância.
Fazer um São Cosme e Damião, sem 357, bomba só de chocolate e pé de moleque.
Apertar a tecla pause no momento mágico, no beijo em quem se ama, na hora do orgasmo.
Tirar do DP o alfinete espetado, no meu bairro, o ponto geográfico, mais problemático.
Cansei de ser tese no seminário do reverendo, implorando morfina no balão de oxigênio.
Exigindo blindado, que o GARRA se afaste, helicóptero pra fuga no campo de marte.
Os que brincavam de dirigir no fusca abandonado, vi de unha preta lábios roxos, entre Orquídeas e cravos.
È o preço pro transatlântico em Búzios, Parati, pra por na Black Bird, puta do shopping lguatemi.
Quem bate palma no portão pra pedir comida, se articula e imita a melícia, Taliban, Eta, lra.
Bafômetro na cia que os drinks tão chapando, apontam o Brasil como potência em 15 anos.
Não me viram pagando pros gambés uma CB, pra na audiência se contradizer e o juiz me absolver.
O veterinário abrindo a barriga do bulldog, pra coca passar na alfândega dentro do filhote.
Ou o traficante assando o coração na fogueira, do vapor que usou a droga e no lugar pois maizena.
Vi Rodan na estátua O Pensador na prisão, fazendo caravela com emblema do timão.
Confesso ainda não aprendi a amar os inimigos, mais aperto sua mão pra subtrair um tiro.
Queria uma nave pra levar as crianças pro espaço e só trazer quando os homens já tivessem se matado.

Queria o poder de apertar a tecla pause, antes do choque no Denarc, da pedra de crack.
Queria o poder de apertar a tecla pause, antes da 9 mandar miolos, pá, pá, pelos ares.

A burocracia me impede de ter porte de arma, mais a Taurus na manga tem uma carta.
O Paraguai pra eu buscar pela ponte da amizade, assim o escrivão tem os ossos triturados da face.
Doutor, não é pra defesa seu oitão registrado, é pra furar sua massa encefálica e acabar no barraco.
Aproveito o tour no Mercosul pra sacar no Chile, se o bancário pois no 24 horas o chip.
Administração de empresas, aula prática pro que cata o pc da aula e priva o morro da informática.
Ou tem surto consumista e morre, dando goela, faz um banco e cola de Mustang na favela.
Acreditavam que em 2000 moraríamos na lua, hoje o carro não voa e sem Porto nem sai na rua.
Hoje tem cana disfarçada de puta na campana, dá o cú por informação e os 5 do programa.
Carregam a cruz até Aparecida Do Norte, se o explosivo em gel abrir o vigia e o carro forte.
Dom Pedro disse independência ou morte, surfo no tsunami, pra não cumprir ordem.
A rua aguça o seu 6º sentido, sou detector de mentira, vejo a áurea do inimigo. Não acredito que haja mais Betinho, Chico Mendes, porque só trombo Pinochet na minha frente.
To onde a firma economiza antena pra Yamaha, com a cabeça do moto boy no cerol decaptada.
Por lucro dão cirrose de smirnof a playboy tira estria da vaca no Photoshop
Queria rebobinar a fita, apertar o play de novo, sem Dp da mulher maxilar deslocado no soco.
Sem Tim torpedo pro Xis, vindo do QG da quadrilha, cusão se enforca hoje ou metralho sua família.

Queria o poder de apertar a tecla pause, antes do choque no Denarc, da pedra de crack.
Queria o poder de apertar a tecla pause, antes da 9 mandar miolos, pá, pá, pelos ares.

0 comentários
Terra Música feedback