Letras de músicas - Letras.mus.br

Terra de Cego

Oriente

Em terra de cego não existe lei
Com dois olhos é mal visto porque quem tem um é rei
Em terra de cego não existe lei
Com dois olhos é mal visto porque quem tem um é rei

Sempre desconfie se mandarem tu calar a boca
Boca fechada não entra mosca
Mas também não come a sopa
Sopa de letrinhas, dá licença poética
Tempero com ervas finas, cago em ordem alfabética
Artimanha é artificio, articulo o artefato
Na artéria da sibéria corre sangue em frio ártico
Artefeito artilheiro moldando o artesanato
Na arte da teoria, o artigo nem sempre é pratico
Dispenso logo existo, eu corro o risco
Quando penso no que venço me convenço do que arrisco
Como um animal arisco no habitat do predador
Sua intenção despisto, visto de improvisador

Converso com meu instinto, vinho tinto me inspirou
São caminhos tão distintos, sinto o caminho que eu vou
Tudo já se calculou do momento que eu vi
A porta certa se fechar e a errada se abrir

Em terra de cego não existe lei
Com dois olhos é mal visto porque quem tem um é rei
Em terra de cego não existe lei
Com dois olhos é mal visto porque quem tem um é rei

Ego ou ó na terra de cego, surdos, mudos, cabeçudos, cracudos
Mancos, vesgos, na guerra diabos presos
Todos reclamam de tudo
visto nisso o meu improviso sai ante ló ó
Diante de comediantes que se antes fossem artistas
Talvez o mundo que hoje o dia adiante fosse menos previsível e até melhor
Só, telecomunicação atrapalha a visão
Torre de celular de avião que faz perder audição
E deixa geral doidão, teoria da conspiração
Liga a televisão
Fumo câncer no pulmão
Tintadora profissão
Só tem problema a solução
Antes da guerra a redição
Antes da paz a redenção, a primeira guerra interna o território e ele
No verão a mente do vilão só não flerte pra confusão
O único inimigo que pode me vencer sou eu mesmo
E também o único que pode me derrotar sou eu mesmo
E mesmo que esteja fraco não me rendo fácil assim
A maior vitória é que uma guerra não comece
Pois uma guerra iniciada nunca, nunca é interrompida antes do fim
Diamante e ouro marfin, ayres hower e scanner, Big Al e Luther King, andy ding e denis gym, sydes jubler e deny king, lispector, amado e guevara, alcatrabo, cain,
Essa arara é fato saddam selácia cada filóbate fuma memo é pinguim .
Coringa desse baralho só forasteiro se é que vi,
E vou dizer: "virem seus tronos para mim e parem o mundo que eu quero descer"
"o que seria de nós se as cigarras não anunciassem o verão?"
"quantos anos você teria se não soubesse a sua idade?"
Perguntas presas na porra do ponto de interrogação
Fazem o mundo de guerra e de ego serem apenas mais uma descrição
E não a realidade.

Em terra de cego não existe lei
Com dois olhos é mal visto porque quem tem um é rei
Em terra de cego não existe lei
Com dois olhos é mal visto porque quem tem um é rei

Ok, DJ depois não vem falar que eu não falei
Que o bobo da corte tem que respeitar o rei
Logo bala não é banido depois falo que é baleia
Mas não é toda palavra que seca a ilusão DJ
Eu tenho um RG, sou indigente
Nem tente dizer que não sou inteligente
Conecto o detergente cada um com seu avertente
Vai na conta delinquente que eu vou largar o pé
Seu riso é sem moral
Seria marca de tênis uma boa cantora que naufragou no litoral tropical
Árvore igual bala halls quando desço igual
Valor uma princesa mais bonita do local de Taj Mahal
Seu ciclo menstrual atrasou até o natal
Cada rima que eu aplico é uma porrada
No meio dessa coluna cervical, quebrou ao meio
''só não pode fazer feio''
Eu tô pouco me fodendo para o comentar alheio
Junto com sete emos voltei pra chapeuzinho vermelho
Depois quebro sete garrafas e jogo no espelho
Eu sou cert maravilha, de rolé dou um passeio
Sete horas da manhã não adianta o nosso geio
Só dou sete pro cert pro cert voltar sem freio
Niterói e rio de janeiro nota dez e meio
Fomos de rolé lá no sitio do salada
Com o grug e o ai ai, bob esponja calça quadrada
Cabe sim o Nelson Mandela e o sr cabeça de batata
Que botou vários quadrado e acordei com a cabeça ralada

Em terra de cego não existe lei
Com dois olhos é mal visto porque quem tem um é rei
Em terra de cego não existe lei
Com dois olhos é mal visto porque quem tem um é rei

Composição: Oriente · Esse não é o compositor? Nos avise.
Enviada por Laris
33.203 exibições
Ver mais fotos
Músicas
Ouvindo agora ouvintes online
    Artistas
    Estilos Musicais
    Playlists
    Recentes
      Destaques
      Últimos destaques
      Mais